Idioma:

News

Avaliação dos impactos de usinas hidrelétricas sobre o povo indígena Munduruku na Amazônia brasileira

A equipe da CSF fez uma viagem de campo para aldeias do povo Munduruku na Amazônia brasileira. Estas comunidades estão sendo afetadas nos últimos anos pela construção das usinas hidrelétricas (UHEs) Teles Pires e São Manoel.

CSFBeleza cénica do rio Teles Pires.

Atualmente, as hidrelétricas são consideradas fontes de energia de médio impacto ambiental, em termos de emissões de carbono, perda de biodiversidade e contaminação de água. Porém, estas vem afetando a vida nos rios, como estudado pela CSF-Brasil no caso da UHE de São Luís do Tapajós, que teve seu processo de licenciamento ambiental cancelado.

CSFPescador Munduruku buscando o jantar para sua família.

No processo de concepção das duas UHEs mencionadas acima, não foi feita a consulta às comunidades que poderiam ser afetadas, como é previsto pela Convenção 169 da Organização Internacional do Trabalho.

CSFCrianças Munduruku.

O objetivo de nossa visita foi de identificar os impactos para os nativos. Ficamos impressionados com o espaço aberto para todos os que desejavam se expressar e o esforço dos indígenas para debater durante horas até chegar a um consenso da comunidade.

CSFAldeia Munduruku, na beira do rio Teles Pires.

Com este estudo, esperamos contribuir para o debate local e nacional sobre a construção de UHEs na região Amazônica.

CSFApresentação dos cantos e danças tradicionais do povo Munduruku durante o por-do-sol.

Crédito das fotografias: CSF-Brasil.